- Publicidade -
28 C
Balneário Camboriú

Deputados pedem saída de Eduardo Bolsonaro da Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

Leia também

Bolsonaro chama de ‘exagero’ e ‘rebuliço’ reação do mercado a troca na Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou de "exagero" e "rebuliço" a reação no mercado financeiro ao anúncio, feito...

Governo Bolsonaro amarga gasto com leite condensado

Por André Borges, Rayssa Motta e Samuel Costa Na cena política nacional, o leite condensado ganhou destaque recente como protagonista...

Mourão diz que modelo democrático dos EUA é ‘farol para mundo ocidental’

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta quarta-feira, 20, que a relação do Brasil com os Estados Unidos...

Por Camila Turtelli

Um grupo de parlamentares pede a destituição de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) da presidência da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. O movimento acontece depois do último embate entre o filho do presidente da República Jair Bolsonaro e a China.

- Publicidade -

Em publicação feita na noite de segunda-feira, e apagada no dia seguinte, Eduardo destacava a adesão do Brasil ao programa americano Clean Network, descrito pelo deputado como “aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”. Na terça-feira, a Embaixada da China em Brasília reagiu à acusação.

“O deputado Eduardo Bolsonaro vive cometendo desatinos e envergonhando o Parlamento perante parceiros históricos do Brasil, como a China. Não tem cabimento uma postura desse tipo vinda de um parlamentar que se diz presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara”, disse o vice-presidente do Cidadania, deputado Rubens Bueno.

O pedido tem apoio do presidente do grupo parlamentar Amizade Brasil-China, Daniel Almeida (PCdoB-BA). “Estamos fazendo um requerimento argumentando que o pensamento que ele expressa não corresponde ao da comissão nem ao da Câmara, portanto, ele está em desacordo com a função.”

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

É iminente o colapso generalizado do sistema de saúde do País

18 Estados já têm mais de 80% de UTIs lotadas e secretários querem lockdown
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -