- Publicidade -
19 C
Balneário Camboriú

Bia Mattar lança livro sobre historia do sapateado no Brasil

Leia também

Livro com registro inédito sobre a produção teatral em Itajaí será lançado nesta quinta

A história do teatro em Itajaí começou em 1897, no entanto, foi nas décadas de 1970 e 1980 que...

Foragido do RS é preso com arma e drogas em Balneário

Um homem de 34 anos, que estava foragido do RS por furto a caixa eletrônico, foi preso em Balneário...

Vereadores de Balneário Camboriú votarão hoje “calote” no fundo de saúde dos servidores municipais

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú votará nesta quarta-feira, 14, projeto do prefeito Fabrício Oliveira que pretende dar...

Minimercado do centro foi arrombado e furtado nessa madrugada

Um minimercado, localizado na Rua 2.000, foi arrombado e furtado na madrugada desta quarta-feira (14), em Balneário Camboriú. O...

Praça da Cultura receberá primeira empena de arte urbana da área central de Balneário Camboriú

A obra do artista Eduardo Vaso, em andamento na Praça da Cultura, ainda não está pronta, mas já vem...
- Publicidade -

A bailarina, pesquisadora e gestora cultural, Bia Mattar que até o ano passado presidiu a Fundação Cultural de Balneário Camboriú, lança nesta quarta-feira (6), a coletânea História do Sapateado no Brasil, com dois volumes.

Desde criança, Bia Mattar teve contato próximo com a dança, porque sua mãe era bailarina, formada pela Escola de Bailados do Teatro Municipal, de São Paulo. Após as primeiras aulas de ballet com sua mãe, na cidade paulista de Jaú, mudou-se para São Bernardo do Campo e entrou na Escola de Ballet Evelyn, onde estudou e formou-se em ballet clássico, jazz, dança moderna e sapateado.

- Publicidade -

Em 1986, fez sua primeira viagem a Nova Iorque, para aperfeiçoar técnicas de dança. Foi lá que conheceu a American Tap Dance Orchestra e se apaixonou, definitivamente, pelo sapateado. Passou a se dedicar cada vez mais ao sapateado, quando mudou-se, em 1990, para Florianópolis.

Bia foi responsável pela implementação do sapateado na cidade e em 2008, abriu a primeira escola especializada no gênero em Santa Catarina: a Garagem da Dança. Bia consolidou sua carreira no sapateado aliada à pesquisa dos ritmos brasileiros, sempre em diálogo com a produção da amiga e parceira, Valéria Pinheiro (que também fez o prefácio do livro), como coreógrafa residente e pesquisadora e também acompanhada pelo marido e músico, Rodrigo Paiva, que contribuiu com a direção musical em todos os espetáculos. Foram diversos prêmios de produção, circulação e difusão do sapateado desde então.

Com carreira consolidada na dança é frequentemente convidada para ser jurada, professora e palestrante nos maiores festivais de dança do país como o Festival de Dança de Joinville (SC) e o Passo de Arte (SP).

Bia é formada em gestão pública, pós-graduanda em economia criativa, cultura e inovação na Univali e tem uma carreira como consultora e empresária da cultura há mais de 15 anos.

- Publicidade -

Em 2017 recebeu a comenda de mérito cultural do Governo do Estado de Santa Catarina, com a medalha Cruz e Sousa por sua contribuição à dança catarinense.

Desde 2012, mora em Balneário Camboriú, onde presidiu a Fundação Cultural até o ano passado.

A história por trás da história

A ideia de transformar seu conhecimento em livro sempre existiu, mas nunca saiu do papel.

“Sabe aquele tipo de sonho que você tem vontade de realizar mas não faz nada para que aconteça? Achava que não iria dar conta dos processos de uma empreitada como esta. Me conformava com os artigos que escrevia e, eventualmente, publicava e com as palestras que ministrava nos festivais de dança. Contava histórias que eu tinha vivido, pesquisado e que ouvia dos colegas. Fiz isso por mais de seis anos. Mas, como toda pesquisa, ela nunca estava pronta, acabada. Sempre incluía informações, revia datas, retirava equívocos, aceitava sugestões. Enfim, era sempre uma troca, um compartilhamento de lembranças e pesquisas”, contou.

Mas uma palestra no ano passado, durante o Festival Floripa Tap, em Florianópolis, mudou o rumo da história.

“Um dos participantes, Murilo Hiratomi, chegou acompanhado do meu eterno aluno Fernando Flesch. Eles timi damente me abordaram, perguntando se eu não gostaria de transformar a palestra em um livro. Murilo disse que precisava fazer seu projeto de conclusão de curso da Faculdade de Design e Fernando sugeriu que seria um material importante para pesquisar e aprender mais sobre sapateado. Foi assim que nasceu a história de escrever estes dois livros”, contou a autora.

Serviço

O que: Lançamento Lanço e Converso • A História do Sapateado no Brasil • Bia Mattar
Quando: 6 de janeiro de 2021 • quarta-feira
Horário: 20h
Local: nos canais do Youtube
youtube.com/biatap
youtube.com/TraçosCapturas

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -