- Publicidade -
22 C
Balneário Camboriú

Após 6 meses de alta confiança da construção cai em novembro diz FGV

Leia também

Efeito Bolsonaro nos mercados faz risco país disparar e pressiona dólar

A relação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o mercado financeiro, que ajudou a elegê-lo em 2018, parece...

Queda do PIB de 2020 é a 3ª maior da história e só perde para as de 1990 e 1981

A retomada econômica perdeu fôlego no último trimestre do ano passado, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 3,2%...

Dólar sobe e vai a R$ 5,66 mesmo com intervenção do BC

Em novo dia de tensão no câmbio, o dólar bateu em R$ 5,73 nesta terça-feira, 2, obrigando o Banco...

Por Cícero Cotrim

O Índice de Confiança da Construção (ICST) caiu 1,4 ponto em novembro, para 93,8, informou nesta quarta-feira, 25, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado interrompeu a sequência de seis meses de aumento do indicador, iniciada na passagem de abril (65,0) para maio (68,0).

- Publicidade -

O Índice de Expectativas (IE) cedeu 2,9 pontos, para 96,2, também interrompendo uma série de seis meses de expansão. O resultado deixou o indicador novamente abaixo do nível de fevereiro (99,0), último mês com menor influência da pandemia de covid-19 sobre a atividade. O componente de demanda prevista cedeu 2,3 pontos, para 96,8, e o indicador de tendência dos negócios recuou 3,5 pontos, para 95,5.

O Índice de Situação Atual (ISA) ficou estável em 91,5 pontos, o primeiro resultado em cinco meses sem crescimento. O movimento foi puxado pela queda de 0,7 ponto do componente de carteira de contratos, para 89,5, por um lado; e pelo crescimento de 0,7 ponto do indicador de situação atual dos negócios, para 93,6, por outro.

“Após seis meses de alta contínua, a confiança dos empresários da construção recuou, refletindo uma piora das expectativas em relação à demanda e ao ambiente de negócios nos próximos meses”, afirma a coordenadora de Projetos de Construção da FGV Ibre, Ana Maria Castelo, em nota. “O movimento se deu nos três segmentos setoriais – Edificações, Infraestrutura e Serviços Especializados – indicando a insegurança com as incertezas elevadas do cenário geral.”

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) da construção caiu 1,8 ponto porcentual, para 72,7%, também a primeira contração em seis meses. Nas aberturas, a utilização da capacidade de Máquinas e Equipamentos caiu 0,2 ponto porcentual, para 65,9%, e o índice de Mão de Obra cedeu 2,0 pontos porcentuais, para 73,9%.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Com mais 94 mortes Santa Catarina e região de Balneário Camboriú seguem sem leitos de UTI

Apesar da morte de 44 catarinenses por falta de atendimento, o governador Carlos Moisés e os prefeitos continuam agindo de maneira irresponsável.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -