- Publicidade -
19 C
Balneário Camboriú

Bolsas da Ásia fecham em alta após NYSE recuar sobre techs chinesas; Tóquio cai

Leia também

Livro com registro inédito sobre a produção teatral em Itajaí será lançado nesta quinta

A história do teatro em Itajaí começou em 1897, no entanto, foi nas décadas de 1970 e 1980 que...

Foragido do RS é preso com arma e drogas em Balneário

Um homem de 34 anos, que estava foragido do RS por furto a caixa eletrônico, foi preso em Balneário...

Vereadores de Balneário Camboriú votarão hoje “calote” no fundo de saúde dos servidores municipais

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú votará nesta quarta-feira, 14, projeto do prefeito Fabrício Oliveira que pretende dar...

Minimercado do centro foi arrombado e furtado nessa madrugada

Um minimercado, localizado na Rua 2.000, foi arrombado e furtado na madrugada desta quarta-feira (14), em Balneário Camboriú. O...

Praça da Cultura receberá primeira empena de arte urbana da área central de Balneário Camboriú

A obra do artista Eduardo Vaso, em andamento na Praça da Cultura, ainda não está pronta, mas já vem...
- Publicidade -

Por Eduardo Gayer

As bolsas da Ásia encerraram o pregão desta terça-feira (5) em alta, após a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) recuar e decidir não mais excluir três empresas chinesas do setor de telecomunicações de sua listagem. O mercado de Tóquio, contudo, foi na contramão, ainda de olho no avanço da covid-19 e no aperto de restrições em todo o mundo.

- Publicidade -

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,64%, para 27.649,86 pontos. Por lá, as ações da China Unicom dispararam 8,5%, as da China Mobile, 5,13%, e as da China Telecom, 3,35%. Seguiram a tendência o índice de Shenzhen (alta de 2,15%, para 15.147,57 pontos) e o composto de Xangai (avanço de 0,73%, a 3.528,68 pontos), ambos na China continental, e o índice Kospi, da Bolsa de Seul (fortalecimento de 2,57%, a 2.990,57 pontos).

Os mercados asiáticos se animaram com o arrefecimento das tensões sino-americanas diante do recuo da NYSE sob a tese de “novas consultas às autoridades regulatórias relevantes”. Na semana passada, a bolsa nova-iorquina havia anunciado a exclusão de China Telecom, China Mobile e China Unicom de sua listagem, alegando preocupações com supostos vínculos das companhias com as forças armadas comandadas por Pequim.

A principal exceção à tendência compradora na Ásia se deu em Tóquio, onde o índice Nikkei fechou em baixa de 0,37%, a 27 158,63 pontos. Por lá, ainda causa desconforto o avanço da covid-19 e a possibilidade de se anunciar estado de emergência da região da capital japonesa. O recuo de Wall Street no pregão de segunda-feira, diante da retomada de lockdowns na Europa, também impediu a tomada de risco.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sidney, fechou perto da estabilidade, em queda de 0,03%, para 6.681,90 pontos.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -