- Publicidade -
22 C
Balneário Camboriú

Famílias mais pobres foram as mais impactadas por inflação, diz BC

Leia também

Efeito Bolsonaro nos mercados faz risco país disparar e pressiona dólar

A relação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o mercado financeiro, que ajudou a elegê-lo em 2018, parece...

Queda do PIB de 2020 é a 3ª maior da história e só perde para as de 1990 e 1981

A retomada econômica perdeu fôlego no último trimestre do ano passado, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 3,2%...

Dólar sobe e vai a R$ 5,66 mesmo com intervenção do BC

Em novo dia de tensão no câmbio, o dólar bateu em R$ 5,73 nesta terça-feira, 2, obrigando o Banco...

Por Eduardo Rodrigues

As famílias mais pobres que gastam a maior parte de seus orçamentos domésticos com alimentação foram as mais afetadas pela inflação em 2020, de acordo com o Banco Central. Já as classes mais ricas, que têm despesas maiores com serviços, foram menos afetadas pela alta de preços nos últimos meses. O BC antecipou para esta quinta-feira, 12, a publicação de três boxes do Boletim Regional. O documento completo será divulgado na sexta-feira, 13, pela autoridade monetária.

- Publicidade -

“A pandemia da Covid-19 tem influenciado a inflação e os preços relativos no Brasil desde março. Por um lado, distanciamento social, aumento do desemprego e retração da atividade deprimiram os preços de diversos serviços. Por outro, a depreciação cambial, os programas de transferência de renda e o aumento dos gastos com alimentação no domicílio pressionaram os preços dos alimentos”, destacou o BC, em um boxe sobre a inflação por faixa de renda familiar em 2020.

De acordo com a autoridade monetária, a inflação deste ano tem tido relação inversa com o nível de renda, afetando sobretudo as famílias que recebem de 1 a 3 salários mínimos por mês. Ainda assim, o BC destaca que a inflação para esse segmento da população ainda é baixa, de 2,29% no acumulado do ano.

“Adicionalmente, a análise evidencia inflação de alimentos mais elevada no Norte e no Nordeste, inclusive para a faixa de renda mais baixa, o que sugere algum efeito do auxílio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade, mais significativo nessas regiões, sobre a demanda desses produtos”, completou documento.

Por outro lado, a inflação de serviços das classes mais ricas, sobretudo no Sul e Sudeste, tem sido menor devido ao maior peso de passagens aéreas, transportes por aplicativos e hospedagem no consumo dessas famílias. Como são segmentos ainda bastante afetados pelo distanciamento social, não têm tido aumentos nos preços praticados pelas empresas.

- Publicidade -

Para as famílias mais pobres, os itens que mais impactaram a inflação foram cereais, leguminosas e oleaginosas, leites e derivados e carnes. Já para as famílias mais ricas, a inflação ocorreu principalmente em automóvel novo, plano de saúde e alimentação fora do domicílio.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Com mais 94 mortes Santa Catarina e região de Balneário Camboriú seguem sem leitos de UTI

Apesar da morte de 44 catarinenses por falta de atendimento, o governador Carlos Moisés e os prefeitos continuam agindo de maneira irresponsável.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -