- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Sindicatos de petroleiros declaram apoio a movimento dos caminhoneiros

Leia também

Financiamento imobiliário cresce 72% em janeiro ante janeiro de 2020, diz Abecip

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos imobiliários com recursos...

Faltou trabalho para 32,031 milhões de pessoas no País no fim de 2020

No trimestre terminado em dezembro de 2020, faltou trabalho para 32,031 milhões de pessoas no País, segundo os dados...

Dólar dispara e vai a R$ 5,51 mesmo com injeção de US$ 1,5 bi pelo BC

O câmbio teve novo dia de tensão, lembrando o pregão da última segunda-feira. A diferença é que naquele dia...

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne sindicatos da categoria em todo o País, decidiu apoiar o movimento dos caminhoneiros de protesto contra a alta dos combustíveis. Os transportadores sinalizam com uma paralisação no dia 1º de fevereiro.

Segundo a FUP, o apoio se dará por meio de inúmeras ações e protestos que serão realizados por sindicatos ligados à entidade.

- Publicidade -

Entre as que marcaram atos em apoio aos caminhoneiros estão os sindicatos de petroleiros do Amazonas, Ceará e Piauí, Espírito Santo, Caxias (RJ), Norte Fluminense, Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul.

As entidades prometem participar de carreatas e protestos, e algumas pretendem realizar ações beneficentes como doações de cestas básicas e botijões de gás.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez nesta quarta um apelo aos caminhoneiros para que desistam da paralisação da categoria, programada para a semana que vem.

Ele confirmou a intenção do governo de reduzir tributos sobre o diesel para aliviar a pressão do reajuste do combustível sobre o bolso dos caminhoneiros.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Restam apenas 6 leitos de UTI em hospitais públicos de Itajaí e Balneário Camboriú

Apesar do cenário desesperador, que afeta todo o Estado, grupos de empresários continuam se movimentando para pressionar o judiciário e o governador contra restrições ao funcionamento das empresas.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -