- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Vendas de veículos caem 11,5% em janeiro ante janeiro de 2020, diz Fenabrave

Leia também

Financiamento imobiliário cresce 72% em janeiro ante janeiro de 2020, diz Abecip

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos imobiliários com recursos...

Faltou trabalho para 32,031 milhões de pessoas no País no fim de 2020

No trimestre terminado em dezembro de 2020, faltou trabalho para 32,031 milhões de pessoas no País, segundo os dados...

Dólar dispara e vai a R$ 5,51 mesmo com injeção de US$ 1,5 bi pelo BC

O câmbio teve novo dia de tensão, lembrando o pregão da última segunda-feira. A diferença é que naquele dia...

As vendas de veículos novos no Brasil interromperam a sequência positiva engatada após o choque da pandemia e fecharam janeiro marcando queda de 11,5% na comparação com o mesmo mês de 2020. No total, 171,2 mil unidades, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus, foram emplacadas no mês passado, o menor volume em sete meses.

Na comparação com dezembro, que sazonalmente é um mês mais aquecido, a queda foi ainda maior: de 29,9%.

- Publicidade -

Os números foram divulgados nesta terça-feira, 2, pela Fenabrave, a associação que representa as concessionárias de automóveis e retratam o primeiro mês sem a produção de carros pela Ford, que anunciou no dia 11 de janeiro o fechamento da fábrica de Camaçari (BA), onde montava os modelos Ka e EcoSport, junto com a unidade que produzia motores e transmissões em Taubaté, no interior de São Paulo.

A montadora americana, que durante a maior parte de sua centenária história no Brasil esteve entre as quatro marcas mais vendidas do País, terminou janeiro na oitava colocação, com 5% do mercado. A liderança no primeiro mês do ano ficou com a Fiat, responsável por 19% das vendas totais, seguida por General Motors (16,37%), Volkswagen (16,35%) e Hyundai (9,1%).

Além do fim da produção da Ford, a oferta de modelos nas revendas seguiu prejudicada por interrupções de produção de algumas linhas de montagem em razão da insuficiência de peças.

“Já vínhamos acompanhando as dificuldades que as montadoras, de forma geral, estão enfrentando com relação ao fornecimento de peças e componentes. Este gargalo se intensificou em janeiro, diminuindo, ainda mais, a oferta de produtos”, comentou, em nota, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

- Publicidade -

Ele também atribui o resultado negativo à segunda onda da pandemia, que levou ao endurecimento das medidas de restrição, e ao aumento das alíquotas de ICMS em São Paulo, o maior mercado do País.

O volume do mês passado é o menor desde junho, quando os emplacamentos somaram 132,8 mil veículos. O desempenho também dá fim a uma sucessão de resultados mensais positivos – no comparativo mês contra mês anterior – iniciada em maio. No período, o mercado, após sair da mínima inferior a 60 mil veículos de abril, alcançou 244 mil unidades em dezembro.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Restam apenas 6 leitos de UTI em hospitais públicos de Itajaí e Balneário Camboriú

Apesar do cenário desesperador, que afeta todo o Estado, grupos de empresários continuam se movimentando para pressionar o judiciário e o governador contra restrições ao funcionamento das empresas.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -