- Publicidade -
28 C
Balneário Camboriú

Escola Municipal de Surfe para adultos iniciantes retorna no final de janeiro com novos materiais

Leia também

Flamengo ultrapassa Palmeiras e é o líder do ranking dos clubes da CBF

A conquista recente do título brasileiro colocou o Flamengo na liderança do ranking de clubes da CBF, ultrapassando o...

Djokovic iguala recorde de Federer em número de semanas na liderança do ranking

Novak Djokovic enfim alcançou o recorde de Roger Federer na liderança do ranking. Nesta segunda-feira, o sérvio igualou a...

Palmeiras faz 1 a 0 no Grêmio e larga na frente na decisão da Copa do Brasil

O Palmeiras conquistou uma importante vitória por 1 a 0, neste domingo, na partida de ida da final da...

A Escola Municipal de Surfe que atendeu 70 alunos em 2020, está de férias até o próximo dia 20 e retorna às atividades com novos equipamentos e materiais. É um projeto de iniciação para jovens a partir dos 17 anos, coordenado pela Fundação Municipal de Esportes (FMEBC).

No ano passado o projeto parou por determinação dos protocolos que proibiram o acesso a praia. O professor de surfe da FMEBC, Juliano Pagnoncelli disse que assim que o protocolo liberou, o projeto voltou inicialmente com os alunos que já estavam independentes para a prática.

“No final de setembro começamos com alunos novos, mas que eram mais adaptados ao mar e em final de outubro todos voltaram”, detalhou Juliano.

- Publicidade -

Ele disse que o retorno às atividades está previsto para a ultima semana de janeiro, mas a data certa ainda não foi decidida.

“Vamos retornar com horários adaptados para a temporada afim de evitar dar aulas com praia cheia, dando mais segurança aos alunos e banhistas”, acrescentou. O aprendizado é gratuito e para moradores de Balneário Camboriú.

Novos materiais

No final do ano, a Fundação renovou equipamentos e materiais para a escola: 3 long board Soft, 3 fun board Soft, 18 lycras manga longa, 12 Leasch e 100 blocos de parafinas.

“Pranchas de Soft são ideais para iniciantes, pois são macias e não machucam quando batem no aluno. As quilhas são mais grossas que pranchas de surf diminuindo o risco de corte caso raspe no aluno. Leasch tem dois distorcedores evitando assim que ele enrole e cause um desconforto para o surfista. As lycras manga longa para uma maior proteção do sol e vento e as parafinas próprias para pranchas de soft”, explicou o professor da escola.

Para participar das aulas é preciso fazer o cadastro no site da FMEBC e depois ir até o local da escola fazer a matrícula (Atlântica na altura entre rua 1101 e 1121 Quiosque 09).

Informações: Fundação Municipal de Esportes (47) 3360-0444

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

É iminente o colapso generalizado do sistema de saúde do País

18 Estados já têm mais de 80% de UTIs lotadas e secretários querem lockdown
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -