- Publicidade -
19 C
Balneário Camboriú

Vasco vence clássico, respira na briga contra o rebaixamento e afunda o Botafogo

Leia também

Livro com registro inédito sobre a produção teatral em Itajaí será lançado nesta quinta

A história do teatro em Itajaí começou em 1897, no entanto, foi nas décadas de 1970 e 1980 que...

Foragido do RS é preso com arma e drogas em Balneário

Um homem de 34 anos, que estava foragido do RS por furto a caixa eletrônico, foi preso em Balneário...

Vereadores de Balneário Camboriú votarão hoje “calote” no fundo de saúde dos servidores municipais

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú votará nesta quarta-feira, 14, projeto do prefeito Fabrício Oliveira que pretende dar...

Minimercado do centro foi arrombado e furtado nessa madrugada

Um minimercado, localizado na Rua 2.000, foi arrombado e furtado na madrugada desta quarta-feira (14), em Balneário Camboriú. O...

Praça da Cultura receberá primeira empena de arte urbana da área central de Balneário Camboriú

A obra do artista Eduardo Vaso, em andamento na Praça da Cultura, ainda não está pronta, mas já vem...
- Publicidade -

Por Leandro Silveira

Em confronto direto na briga contra o rebaixamento, o Vasco respirou e afundou o Botafogo. Neste domingo, em São Januário, derrotou o rival por 3 a 0, no clássico válido pela 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Talles Magno e Andrey, ambos formados na base do clube, marcaram, com Yago Pikachu fechando o placar, de pênalti, no fim.

- Publicidade -

O triunfo deixa o Vasco na 15.ª posição, com 32 pontos e três de vantagem para a zona da degola. Ganhou, assim, a primeira no retorno do técnico Vanderlei Luxemburgo, que havia estreado com empate por 0 a 0 com o Atlético-GO, na quinta-feira. Para isso, foi soberano no primeiro tempo, liderado pela boa atuação de Talles Magno, que abriu o placar, e depois marcou duas vezes no fim da segunda etapa, assegurando a vitória.

Já a situação do Botafogo ficou ainda mais dramática, na penúltima posição, com 23 pontos e a 9 de distância da primeira equipe que está permanecendo na Série A e com apenas mais 9 jogos a disputar. Assim, se aproxima do seu terceiro rebaixamento, ainda mais que ganhou apenas 1 dos últimos 14 duelos que disputou no Brasileirão. No último dos compromissos dessa série ruim, até esboçou uma reação no começo do segundo tempo, após substituições promovidas por Eduardo Barroca, mas voltou a ser batido – e com alguma facilidade pelo adversário.

Foi o 50.º clássico em São Januário entre os rivais, agora com 21 vitórias do Vasco, 16 empates e 13 derrotas. Novamente no seu estádio, o Vasco voltará a jogar no próximo sábado, diante do Coritiba. Já o Botafogo vai tentar se reabilitar no dia seguinte, na Vila Belmiro, diante do Santos.

O JOGO – Enquanto o Vasco foi para o jogo com Cayo Tenório na lateral direita sendo a única novidade, o Botafogo teve muitas alterações, apostando em três jovens: David Souza, na zaga, Romildo, no meio-campo, e Warley, no setor ofensivo.

- Publicidade -

Mas quem dominou o primeiro tempo foi o Vasco. Teve mais posse de bola, mais finalizações – 11 a 4 – e quase sempre mais iniciativa para atacar. De início, ao menos a estratégia defensiva dos visitantes surtiu efeito, deixando o clássico moroso. O time não dava espaços para o Vasco, que atuava em ritmo lento e só ameaçou em chute de longe de Cano, aos seis minutos. Só que na oportunidade seguinte, marcou. Aos 21, Henrique pegou rebote de corte da defesa do Botafogo e cruzou para Talles Magno, de cabeça, fazer 1 a 0.

O gol premiou o melhor jogador da etapa inicial. E o Vasco, mais organizado, só não marcou aos 27 porque Cano não conseguiu completar cruzamento de Pikachu. O Botafogo, quase nulo ofensivamente, só foi assustar aos 44 minutos, em chute de fora da área, de Romildo.

Insatisfeito, Eduardo Barroca mudou duas peças do setor ofensivo do Botafogo já no intervalo, acionando Bruno Nazário e Kalou. E logo também apostou na experiência de Cícero. As trocas deram mais posse de bola e alguma presença no campo de ataque ao time, mas a dificuldade na criação era enorme.

Uma chance real veio aos 22 minutos, quando, após cobrança de escanteio e desvio de Kanu, Kalou finalizou, mas Henrique salvou em cima da linha, repetindo a intervenção decisiva do duelo de quinta-feira com o Atlético-GO. Parecia uma chance de reação do Botafogo, que apostava em jogadas aéreas para ameaçar, mas a esperança durou pouco.

Ao Vasco, bastou tocar mais a bola e usar o fôlego dos reservas para encaminhar a vitória. Primeiro, aos 30, Andrey forçou a defesa de Cavalieri após tabela com Caio Lopes. No minuto seguinte, ele marcou. Em lance bem trabalhado, com a participação de Bruno Gomes, Caio Lopes e Talles Magno, todos jovens da base, a bola ficou com Cano, que tocou para Andrey bater cruzado: 2 a 0.

Nos acréscimos, Cano parou em linda defesa de Cavalieri após passe de Gabriel Pec. Mesmo perdendo essa chance, o Vasco ainda marcaria mais uma vez. Após ser derrubado por Barrandeguy na grande área, Pikachu foi para a cobrança de pênalti. Deslocou o goleiro, bateu no canto direito e fechou o placar em 3 a 0, aos 51 minutos.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 3 x 0 BOTAFOGO

VASCO – Fernando Miguel; Cayo Tenório (Jadson), Werley, Leandro Castan e Henrique; Bruno Gomes (Marcos Junior), Léo Gil (Caio Lopes), Juninho (Andrey) e Yago Pikachu; Talles Magno (Gabriel Pec) e Cano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

BOTAFOGO – Diego Cavalieri; Kevin (Barrandeguy), Kanu, David Souza e Victor Luís; Zé Wellison, Romildo (Cícero) e Kelvin (Lecaros); Rhuan (Kalou), Warley (Bruno Nazário) e Pedro Raul. Técnico: Eduardo Barroca.

GOLS – Talles Magno, aos 21 minutos do primeiro tempo; Andrey, aos 31, e Yago Pikachu, aos 51 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Raphael Claus (Fifa/SP)

CARTÃO AMARELO – Yago Pikachu.

LOCAL – São Januário, no Rio (RJ).

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -