- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú

The Weeknd critica Grammy por não ser indicado. A reclamação é válida?

- publicidade -

Leia também

Aumento de focos e casos de dengue na região preocupa

População precisa ajudar a conter infestação do Aedes aegypti

Em 2019 Paulo Gustavo apareceu de surpresa em cinema de Balneário Camboriú

Relembre a nota da colunista social, Sonia Tetto, de 02/01/2020. "O ator Paulo Gustavo “invadiu” uma sala de cinema do...

Atleta e técnico de Balneário convocados para semana de treinos em SP com vistas aos Jogos Paralímpicos

A atleta Suelen Marcheski de Oliveira e seu treinador Caike Jacob Rovigo foram selecionados para participar do camping seletivo...

Professora do colégio Maria da Glória, agredida por mãe de aluna em 2019, será indenizada

Uma professora de Química, que foi agredida pela mãe de uma aluna na saída da Escola de Educação Básica...

Câmara delibera sobre um projeto e duas medidas provisórias nesta quarta

Na pauta da sessão legislativa desta quarta-feira (5), o projeto 76/2020, de autoria do Poder Executivo, que desafeta do...
- Publicidade -

Beyoncé lidera indicações

Por Guilherme Sobota

- Publicidade -

Não é como se o Grammy fosse digno de alguma defesa, mas a reclamação de The Weeknd – autor de um dos melhores álbuns do ano e um dos melhores de sua carreira, After Hours – parece mais como uma frustração pessoal e pontual do que qualquer outra coisa. O cantor foi às redes sociais esta semana criticar a organização do evento por não estar na lista de indicados, divulgados na terça, 24. “O Grammy continua corrupto. Vocês devem transparência a mim, meus fãs e à indústria”, escreveu ele no Twitter.

O Grammy e a Academia de Gravação, como diversas outras instituições tradicionais, têm o hábito de perder os bondes da história, mas deixar este ano um bom álbum de fora das indicações principais não parece ser algo tão grave.

O que seria muito grave em 2020: deixar de fora artistas, compositores, produtores e intérpretes de músicas ligadas ao Black Lives Matter, o movimento antirracista que tomou contornos internacionais após o assassinato de pessoas negras pela polícia nos Estados Unidos.

Mas isso não aconteceu. Black Parade, de Beyoncé, concorre a quatro prêmios, incluindo gravação e canção do ano. Entre as indicações da cantora de R&B H.E.R. está I Can’t Breathe, para música do ano. The Bigger Picture, do rapper Lil’ Baby, concorre a melhor canção de rap e melhor performance de rap. Anderson Paak também tem duas indicações com sua música sobre brutalidade policial, Lockdown, melhor performance de rap melódico e melhor clipe. Até o country, gênero geralmente menos concentrado em discussões raciais, Black Like Me, de Mickey Guyton, recebeu uma indicação.

- Publicidade -

Entre muitos desastres possíveis, ainda é razoável olhar com certa admiração algumas das escolhas da Academia para o Grammy 2021: o grupo coreano BTS, fenômeno pop há alguns anos, enfim recebeu sua primeira e desejada indicação; as categorias de rock são dominadas por artistas mulheres, e há poucos trabalhos do gênero mais interessantes nos últimos anos do que os de Fiona Apple e Phoebe Bridgers, ambas indicadas; a multitalentosa Brittany Howard amealhou indicações com canções de seu álbum Jaime em cinco categorias diferentes.

Algumas escolhas, é óbvio, podem ser discutidas. Na categoria melhor álbum de rap, a Academia preteriu jovens talentos de grande sucesso, como DaBaby e Lil Baby, dando preferência a medalhões fortemente influenciados (ou mesmo provenientes) do hip-hop dos anos 1990, como Royce Da 5’9’’, Freddie Gibbs e Nas. A ignorada em The Weeknd, claro, não deixa de ser surpreendente, e também não apareceram nomes como Kehlani, Juice WRLD (rapper morto no ano passado aos 21 anos), Luke Combs (megassucesso da muito popular country music americana).

Nomes com pouca repercussão crítica e tímida acolhida de público, como a banda de soul-rock Black Pumas, o cantor e compositor Jacob Collier e o rapper D Smoke, por sua vez, estão concorrendo nas categorias principais. Por quê? Ninguém sabe. E esse talvez seja o ponto mais forte da crítica de The Weeknd (um artista que, no final de todas as contas, não precisa do Grammy para nada): há pouca transparência no processo de seleção da Academia.

No mais, um problema generalizado dos prêmios culturais e artísticos.

Beyoncé lidera indicações

Mais importante prêmio da indústria da música, a edição 2021 do Grammy ocorre em 31 de janeiro, em Los Angeles, com apresentação do comediante Trevor Noah. A cantora Beyoncé liderou as indicações: nove nomeações, à frente de Dua Lipa, Taylor Swift e Roddy Ricch, que foram indicados seis vezes cada.

Swift e Dua Lipa vão competir pelo principal prêmio (álbum do ano) com Post Malone, Coldplay, Haim, Jacob Collier, Black Pumas e Jhene Aiko.

- Publicidade -

Jornal Página 3 nas redes

39,696FãsCurtir
18,100SeguidoresSeguir
6,592SeguidoresSeguir
11,600InscritosInscrever
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Em 2019 Paulo Gustavo apareceu de surpresa em cinema de Balneário Camboriú

Relembre a nota da colunista social, Sonia Tetto, de 02/01/2020. "O ator Paulo Gustavo “invadiu” uma sala de cinema do Balneário Shopping, em Santa Catarina,...

Atleta e técnico de Balneário convocados para semana de treinos em SP com vistas aos Jogos Paralímpicos

A atleta Suelen Marcheski de Oliveira e seu treinador Caike Jacob Rovigo foram selecionados para participar do camping seletivo para os Jogos Paralímpicos de...

Professora do colégio Maria da Glória, agredida por mãe de aluna em 2019, será indenizada

Uma professora de Química, que foi agredida pela mãe de uma aluna na saída da Escola de Educação Básica Professora Maria da Glória Pereira,...
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
×

Olá, leitor

Sugestões de pautas, informações em geral.

×