- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú

Caminhoneiros convocam nova assembleia para se mobilizar por greve

- publicidade -

Leia também

Dia das Mães: o quanto e como a pandemia está interferindo na maternidade?

Por Renata Rutes Mais de um ano se passou e esse é o segundo Dia das Mães em tempos de...

Dia das Mães: comércio com boas expectativas, vendas devem aquecer nesta sexta e sábado

Data é uma das melhores para o varejo, e deve ser mais movimentada do que 2020 O Dia das Mães...

Emasa e técnicos avaliam contratação do programa ‘Estuário do Rio Camboriú 2030’ que custará R$ 1,5mi

O diretor geral da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA), Douglas Costa Beber participou de reunião realizada nesta...

Balneário Camboriú tem dois atletas classificados para o Pan Sub 20 em outubro no Chile

Neste sábado o número pode aumentar no Estadual de Timbó

Exposição ‘Rainhas da Cidade’ está no Balneário Shopping até dia 23

A mostra fotográfica é uma parceria do Rotary Club com o empreendimento e Hope Lingeries, e celebra mulheres que atuam em Balneário
- Publicidade -
Por Felipe Frazão

Caminhoneiros autônomos de todo o País marcaram uma nova assembleia, sem ainda data definida, para tentar angariar apoio e definir as pautas de uma nova greve nacional que vem sendo articulada pela categoria para o dia 1º de fevereiro.

Na reunião online na noite desta quarta-feira, 13, com cerca de 50 lideranças dos caminhoneiros, foi discutida uma pauta que vai desde manifestações contra o projeto BR do Mar (que incentiva a navegação pela costa brasileira) ao piso mínimo do frete e reclamações contra a política de preços de combustíveis.

- Publicidade -

O Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) manteve a convocação para a greve em 1º de fevereiro. O presidente da entidade, Plínio Dias, afirmou que a definição da pauta é importante para colocar na mesa e ser chamado para diálogo com os órgãos responsáveis. “Até agora não fomos recebidos pelo governo, por isso a paralisação”, explicou ele aos demais motoristas.

“O que você está achando, meu irmão? O senhor tem condições de rodar com seu caminhão nesse País, com combustível caro, insumo caro, tudo aumenta, tudo sobre e o frete está uma desgraceira. Pessoal, 250 litros de diesel está quase R$ 1 mil. Não tem mais cabimento. De Curitiba para São Paulo sobra R$ 150 no final da viagem e está com o tanque seco, não sobra nada. Quem acha que a situação está ruim, pare dia 1º”, convocou Dias num grupo de WhatsApp. “Tem pessoas aí que ficam atrás de lideranças que se dizem de caminhoneiros alegando que não precisa parar. Isso é uma afronta. Às vezes essas pessoas não tem problemas, não tem caminhão, não estão nem aí para a categoria que representam. Mas garanto que já estão aparecendo muitas pessoas para o dia 1º.”

As últimas tentativas de greve da categoria não vingaram por rachas entre as diversas entidades representativas no País. O governo federal aposta justamente nessa divisão para tentar desmobilizar a greve.

Na Região Sul, caminhoneiros prometem em grupos de WhatsApp bloquear cidades e fábricas de alimentos, o que pode afetar o abastecimento de supermercados.

- Publicidade -

O interlocutor da categoria no governo tem sido o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. O ministério questiona a representatividade da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), que mais cedo previu que a greve poderia ser maior que a realizada em 2018. “O Ministério da Infraestrutura (MInfra) esclarece que a Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB) não é entidade de classe representativa para falar em nome do setor do transporte rodoviário de cargas autônomo e que qualquer declaração feita em relação à categoria corresponde apenas à posição isolada de seus dirigentes”, disse a pasta por meio de nota.

O ministério destacou a necessidade de entender o “caráter difuso e fragmentado de representatividade do setor”. “Nenhuma associação isolada pode reivindicar para si falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo, e incorrer neste tipo de conclusão compromete qualquer divulgação fidedigna dos fatos referentes à categoria”, acrescenta.

O Ministério da Infraestrutura informou ainda, por meio de sua assessoria de comunicação, que há uma agenda permanente de diálogo com as principais entidades representativas da categoria por meio do Fórum do Transporte Rodoviário de Cargas (TRC), além de reuniões constantes com lideranças da categorias. “O restabelecimento do fórum, desde 2019, tem sido o principal canal interativo entre governo e setor e qualquer associação representativa que deseje contribuir para a formulação da política pública pode requerer a sua participação para discutir eventuais temas de interesse da categoria.”
Foto: EBC

- Publicidade -

Jornal Página 3 nas redes

39,708FãsCurtir
18,100SeguidoresSeguir
6,594SeguidoresSeguir
11,600InscritosInscrever
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Dia das Mães: comércio com boas expectativas, vendas devem aquecer nesta sexta e sábado

Data é uma das melhores para o varejo, e deve ser mais movimentada do que 2020 O Dia das Mães é a segunda data mais...

Emasa e técnicos avaliam contratação do programa ‘Estuário do Rio Camboriú 2030’ que custará R$ 1,5mi

O diretor geral da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA), Douglas Costa Beber participou de reunião realizada nesta semana, quando pesquisadores da Univali...

Balneário Camboriú tem dois atletas classificados para o Pan Sub 20 em outubro no Chile

Neste sábado o número pode aumentar no Estadual de Timbó
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
×

Olá, leitor

Sugestões de pautas, informações em geral.

×