- Publicidade -
22 C
Balneário Camboriú

Nova direção da Rede Feminina aposta em mais doações para manter atendimentos durante pandemia

- publicidade -

Leia também

Vacinação contra Influenza inicia nesta terça para idosos 70+

A Secretaria da Saúde inicia a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus Influenza para idosos,...

Aulas e oficinas na Casa da Mulher e no Centro da Rua Itália retornam na segunda-feira

A partir de segunda-feira (10) iniciam as aulas de alongamento, fortalecimento muscular, pilates, fit dance, inglês, dentre outras oficinas,...

Entrevista com Luciana Andréa de Jesus: “A natureza é sábia e normalmente a planta que você precisa nasce no seu entorno”

Luciana Andréa de Jesus, 51, catarinense de Blumenau, moradora de Balneário Camboriú há quase quatro décadas (1984), onde estudou...

Casal que foi despejado pede ajuda, Resgate Social diz que eles não aceitaram ir para Casa de Passagem

O Página 3 foi procurado por leitores que informaram sobre a situação de um casal que está na rua...

Psicóloga aborda “Maternidade ideal versus possível” em livro sobre Primeira Infância

A maternidade envolve uma série de aprendizados práticos como trocar fraldas, entender a pega correta da amamentação, aplicar técnicas...
- Publicidade -

A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Balneário Camboriú completa duas décadas de trabalho este ano. A nova direção, que assumiu no primeiro dia deste ano, está planejando como esta data importante será comemorada em tempos de pandemia. O tradicional chá que a Rede realiza todos os anos está nos planos, mas terá que ser diferente, por causa da pandemia. 

A presidente da Rede, Izilda Silva Pereira, 55, paranaense de Nova Aurora, que reside em Balneário Camboriú desde 2001, frequenta a instituição há quatro anos e acompanhou de perto as dificuldades impostas pela pandemia.

- Publicidade -

“Neste ano de pandemia, posso falar como voluntária, como atendente que fui em 2020, a Rede fechou várias vezes por causa dos picos da Covid e junto com os atendimentos, também pararam o Brechó, o Artesanato, os eventos, todas as ações que ajudam a Rede financeiramente pararam ou ficaram restritas. Fomos nos virando para segurar as pontas”, comentou. 

A Rede recebe repasse de verbas da prefeitura e de alguns parceiros, o que ajudou a equilibrar a situação financeira, mas Izilda adiantou que no planejamento de ações para este ano, faz parte buscar mais parceiros, empresários que possam contribuir e ajudar na manutenção da instituição.

“Foram feitas campanhas online, inclusive o tradicional pedágio, mas este ano queremos planejar, programar com antecedência, porque esta pandemia pode demorar ainda, o que não foi possível fazer ano passado, porque tudo era novo”, segue Izilda.

Voluntárias

Atualmente a Rede tem cerca de 80 voluntárias cadastradas, mas por causa da idade (grupo de risco), apenas 15 estão na ativa. Por isso uma das grandes dificuldades que a pandemia trouxe é a falta de voluntárias.

- Publicidade -

“Hoje estamos com duas de manhã e duas à tarde, mas quando surgem imprevistos é complicado, porque não temos como substituir. Seria muito importante encontrar uma voluntária, uma funcionária, uma estagiária, alguém que pudesse estar ali todos os dias, ajudaria muito. Mas eu sei que isso é um sonho”, enfatizou.

Atendimentos agendados

Hoje a Rede tem quatro funcionárias: duas enfermeiras, a secretária e a zeladora. 

“Por este motivo estamos agendando os atendimentos e ligando para as pacientes para marcar hora e assim evitar aglomerações na espera, porque a demanda é grande.

Os atendimentos seguem todos os protocolos e acontecem de segunda a sexta, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h.

Assistência

Além dos atendimentos, a Rede presta assistência de várias formas para as pacientes e suas famílias. As que estão em tratamento oncológico, recebem cestas básicas e atendimento de psicologia, fisioterapia, massoterapia, em alguns casos, reiki e acupuntura também. 

“Nossa assistência não é só para as que estão em tratamento, mas também para as que fazem exames na Rede e precisam de ajuda. Nossa assistente social está sempre correndo atrás para conseguir, Maristela, que também é a vice-presidente, não tira férias, não pára nunca, para poder suprir a demanda da assistência”, contou a presidente.

Diretoria

  • Presidente: Izilda Silva Pereira;
  • Vice-presidente: Maristela Koche Rigueira;
  • Primeira secretária: Serly Inês Fortes Brum;
  • Segunda secretária: Elza Yunes Portiolli Rodrigues;
  • Primeira tesoureira: Vera Lucia Dagnoni Notari;
  • Segunda tesoureira: Ildenei Bernardete Rotta Feres
Izilda, presidente da Rede
- Publicidade -

Jornal Página 3 nas redes

39,714FãsCurtir
18,100SeguidoresSeguir
6,594SeguidoresSeguir
11,600InscritosInscrever
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Aulas e oficinas na Casa da Mulher e no Centro da Rua Itália retornam na segunda-feira

A partir de segunda-feira (10) iniciam as aulas de alongamento, fortalecimento muscular, pilates, fit dance, inglês, dentre outras oficinas, na Casa da Mulher, que...

Entrevista com Luciana Andréa de Jesus: “A natureza é sábia e normalmente a planta que você precisa nasce no seu entorno”

Luciana Andréa de Jesus, 51, catarinense de Blumenau, moradora de Balneário Camboriú há quase quatro décadas (1984), onde estudou Administração e Contábeis, mas não...

Casal que foi despejado pede ajuda, Resgate Social diz que eles não aceitaram ir para Casa de Passagem

O Página 3 foi procurado por leitores que informaram sobre a situação de um casal que está na rua após serem despejados da casa...
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
×

Olá, leitor

Sugestões de pautas, informações em geral.

×