- Publicidade -
26 C
Balneário Camboriú

Pescadores de Taquaras recebem prêmio estadual de reconhecimento por trajetória cultural

Leia também

Encontro do Anjos da Vida aborda abuso sexual nesta segunda

O Grupo de Estudos e Apoio à Adoção Anjos da Guarda, de Balneário Camboriú, convida para o encontro do...

“É uma atitude drástica que precisava ser tomada”, diz secretária de Saúde sobre o lockdown

A secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Leila Crócomo, disse que apesar de ‘drástica’, a atitude do governo do...

Guarda Ambiental resgata cão ferido: Viva Bicho pede ajuda para o tratamento

Um cão foi resgatado pela Guarda Ambiental na quinta-feira (25), em Balneário Camboriú, e encaminhado ao abrigo da ONG...

Os pescadores Eládio Euflorzino e Irineu Alexandre, da praia de Taquaras, receberam esta semana o Prêmio de Reconhecimento por Trajetória Cultural Aldir Blanc, promovido pela Fundação Cultural de Santa Catarina. O dono do Engenho de Farinha de Mandioca de Taquaras, Raul Alexandre também participou, mas não foi contemplado porque aconteceu um problema técnico em um arquivo enviado e os organizadores não aceitaram a correção do mesmo, segundo informou o presidente da Associação de Moradores e Amigos da Praia de Taquaras, Marcelo Abraham Peixoto.

Mas a manifestação cultural da Farinhada, que acontece no engenho centenário na Comunidade, foi contemplada no Edital para Festas Comunitárias Tradicionais para o município de Balneário Camboriú. 

- Publicidade -

A Associação de Moradores está sempre empenhada em incentivar a preservação da cultura da Comunidade de Taquaras, e apoiou a inscrição de pescadores e pessoas ligadas à produção de farinha de mandioca de forma artesanal no referido concurso.

Marcelo destacou que uma premiação como esta é muito importante para incentivar estas pessoas que preservam a cultura tradicional na sua forma de viver.

“São atividades que estão desaparecendo pela inviabilidade econômica, restrições ambientais, empecilhos burocráticos, mudanças culturais, etc…  e esses exemplos de preservação só se dão pela persistência, dedicação e o amor destas pessoas ao que fazem… Então, nada mais justo que um incentivo tanto pela parte financeira, quanto pelo reconhecimento em si”, destacou o presidente da associação. 

O Concurso

Para se inscrever, os interessados precisaram cumprir uma série de requisitos em várias etapas. Foi um processo longo de coleta de dados, produção de materiais e preenchimento e envio de documentação. Muitos voluntários trabalharam nesse pesquisa, se envolveram na produção de vídeos, edição, coleta e organização de documentos, preenchimento de dados na plataforma do Mapa Cultural de Santa Catarina, e envio dos materiais.

“Foram vários dias de trabalho dedicados à produção, organização, e finalmente o envio das inscrições. Um trabalho coletivo, árduo, mas que ajudou a dar visibilidade para as manifestações culturais que ainda resistem bravamente na Comunidade”, ressaltou Marcelo.

Em relação ao Prêmio Aldir Blanc, o apoio da Fundação Cultural de Balneário Camboriú foi fundamental, pois as declarações de reconhecimento do ofício dos inscritos, emitidas pela Fundação, foram essenciais, e fizeram com que os candidatos recebessem pontos que os classificaram para as etapas seguintes.

“Tivemos um tempo curto para inscrição, e só foi possível viabilizá-la graças ao trabalho da Jake (Jaqueline Alexandre Weiler) que encaminhou todo o processo de inscrição e à colaboração de membros da comunidade que ajudaram a preparar o material audiovisual, como Devian Zutter e Gee Moore, e o apoio contínuo da Fundação Cultural de Balneário Camboriu, em especial na pessoa da Lilian Martins. Tomara que surjam mais oportunidades como esta, para que mais pessoas possam ser beneficiadas”, declarou o presidente da associação.

Irineu José João Alexandre, 58 anos (Foto Devian Zutter)
Raul Alexandre, 69 anos (Foto Devian Zutter)

Vídeos:

Sr. Eladio

Pescador Neu

Sr. Raul / Engenho
- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Fique em casa não tem mais leitos de UTI na região de Itajaí e Balneário Camboriú

A chance das pessoas sufocarem e morrerem agora é mais real do que nunca.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -