- Publicidade -
21 C
Balneário Camboriú

Vendas de imóveis sobem 23,7% no 3º tri de 2020 ante 3º tri de 2019, diz Cbic

Leia também

Dia da Mulher: data alerta para o aumento dos casos de violência doméstica em Balneário Camboriú

Por Renata Rutes O Dia Internacional da Mulher foi oficializado pela Organização das Nações Unidas na década de 70, para...

Brasil supera dez mil mortes por covid-19 em uma semana, recorde da pandemia

Mais de dez mil pessoas morreram no Brasil em decorrência da covid-19 nos últimos sete dias, maior registro em...

Por Amanda Pupo

O mercado imobiliário nacional registrou alta de 23,7% no volume de vendas de moradias e uma queda 10,5% no número de lançamentos no terceiro trimestre de 2020 quando comparados com o mesmo período de 2019, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 17, pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic). Na mesma comparação, a oferta final registrou queda de 13%.

- Publicidade -

Em relação ao segundo trimestre de 2020, os lançamentos registraram uma alta de 114,1%, enquanto que as vendas tiveram, na mesma comparação, aumento de 57,5%. Já em relação aos nove meses do ano, houve crescimento de 8,4% no volume de imóveis vendidos em relação ao mesmo período de 2019. Nos lançamentos, houve uma redução de 27,9% comparando os dois anos. A oferta final caiu 13% nessa mesma relação.

O presidente da Cbic, José Carlos Martins, destacou que, como em 2020 se vendeu mais imóveis, porém com menos lançamentos, o setor vai precisar “repor” o estoque no próximo ano com construções.

“Como vendemos mais em 2020 que em 2019, teremos que produzir esses imóveis. Essa venda ainda não refletiu diretamente no PIB porque ele ainda vai ser construído. Vendemos mais, porém lançamos menos, quer dizer que no próximo ano teremos que repor estoque e construir o que vendemos a mais aqui”, explicou o presidente da Cbic, José Carlos Martins, sobre as perspectivas para 2021.

PIB

- Publicidade -

Depois de apresentar retração de 8,1% no 2º trimestre, a construção civil registrou crescimento de 5,6% no 3º trimestre do ano.

Foi a maior alta registrada em um trimestre pelo setor desde o início de 2014. A expectativa é de que o PIB da construção civil cresça 4% no próximo ano.

Para o próximo ano, Martins destacou a importância da manutenção da taxa de juros baixa, com a necessidade de aprovação de reformas, como a tributária, a administrativa e a nova lei de licenciamento ambiental.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Acima da peleja

No Brasil precário de cultura governamental, professores foram censurados por se manifestarem contra o Presidente Jair Bolsonaro. Seus assessores desocupados...
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -