- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Macron: é preciso nova abordagem para redes sociais para ‘preservar a democracia’

Leia também

Casa Branca anuncia distribuição de 25 milhões de máscaras a centros comunitários

O coordenador da resposta da Casa Branca à pandemia, Jeff Zients, anunciou nesta quarta-feira que o governo norte-americano enviará...

OMS alerta para situação de refugiados durante pandemia de coronavírus

Representantes da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram para a situação de refugiados em meio à pandemia de coronavírus....

China tira dos EUA posto de principal parceiro comercial da UE

A China reforçou em 2020 os laços comerciais com a União Europeia (UE) e tirou dos Estados Unidos o...

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta quinta-feira, 4, que uma nova abordagem para as redes sociais é necessária para “preservar a democracia”. No entanto, indicou não querer viver em uma democracia “em que decisões são tomadas por redes privadas”, apontando para reguladores e líderes o papel de mudar as condições. Para Macron, as redes legitimaram e promoveram violência política, especialmente ao não inibi-la. Na visão do presidente, o mesmo que foi feito para limitar terrorismo na internet deve ser realizado com discursos de ódio. As declarações foram feitas após uma pergunta sobre a invasão do Capitólio de Washington e os protestos violentos dos coletes amarelos em Paris e sua ameaça à democracia, em evento do Atlantic Council.

Sobre a nova gestão do presidente Joe Biden nos Estados Unidos, Macron afirmou que a prioridade é reconstruir o multilateralismo, e que são precisas “novas iniciativas para biodiversidade e clima”. O francês saldou a decisão do americano de voltar ao Acordo de Paris, e um possível compromisso para zerar emissões de carbono até 2050.

- Publicidade -

Em meio ao tema recente da prisão do opositor russo Alexei Navalny, Macron afirmou que algumas sanções foram decididas, e que condena a situação. No entanto, ressaltou a importância do diálogo com Moscou, em virtude de ser parte da Europa, e um país para o qual a melhor abordagem é a de manter conversas.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

341° da Quarentena: o caos em Santa Catarina

Por Hélvion Ribeiro
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -