- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Vereador Cristiano quer que população de Balneário pague a rede de esgoto de Camboriú

Vereador novato demonstra desconhecimento do assunto

Leia também

Aprovada medida provisória de R$ 4,8 milhões para o Fundo Municipal da Saúde

A Câmara Municipal de Balneário Camboriú aprovou, na sessão ordinária desta quarta-feira (24), a Medida Provisória 1/2021, do Poder...

Juliana Pavan irá propor a Avenida Atlântica Júlio Tedesco

O ex-prefeito e ex-deputado Leonel Pavan, autor do projeto do nome do Centro de Eventos de  Balneário Camboriú, disse...

‘Foi gentileza’, diz Fernando Cury, deputado acusado de importunação sexual

Ao depor no Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o deputado estadual Fernando...

O vereador Cristiano José dos Santos (PL), em sua primeira semana no Legislativo da cidade, defendeu nesta quarta-feira que Balneário Camboriú pague a implantação da rede de esgotos de Camboriú porque a vizinha cidade “não tem condições”.

Segundo o vereador, a poluição gerada por Camboriú desvaloriza Balneário Camboriú, o que é verdade, mas não justifica o cidadão daqui pagar pelo que o de lá tem obrigação de fazer.

- Publicidade -

Em verdade, o vereador Cristiano revela desconhecimento histórico sobre o assunto porque em três ocasiões Camboriú teve oportunidade de resolver o problema do seu esgoto e nas três os políticos e a população daquela cidade não quiseram fazê-lo.

Em 2005, com a criação da Emasa, foram feitas repetidas ofertas da empresa atender as duas cidades, mas o prefeito da época, Edinho Olegário, e a maioria dos vereadores, não quiseram.

Em 2015 a então prefeita Luzia Coppi Mathias, lesou seriamente os interesses do município ao conceder o serviço de água a uma empresa privada, sem incluir no contrato também o esgoto. Dessa forma a concessionária ficou com o filé (a água) e o município com o osso (o esgoto). Esse absurdo foi aprovado pela Câmara de Vereadores.

No final de 2017 o prefeito Fabrício Oliveira, de Balneário Camboriú, propôs ao prefeito de Camboriú, Elcio Kuhnen, a criação de um consórcio intermunicipal para a Emasa implantar a rede e cobrar pelo serviço de esgoto.

- Publicidade -

Na ocasião o prefeito camboriuense disse ao Página 3 que estava muito feliz e “nem ia conseguir dormir à noite”.

Depois disso a Emasa fez três reuniões com o pessoal da prefeitura de Camboriú e o acordo morreu quando, em novembro de 2019, a população de Camboriú decidiu em audiência pública que a concessionária Águas de Camboriú implantará o esgoto e isso irá demorar 10 anos.

Caminho jurídico

Nas repetidas vezes em que o Página 3 abordou o assunto, a conclusão foi sempre a mesma: Camboriú tem que ser obrigada a implantar rede de esgoto sob pena de proibir alvarás para novas construções e isso tem que ser buscado na justiça.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

341° da Quarentena: o caos em Santa Catarina

Por Hélvion Ribeiro
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -