- Publicidade -
24 C
Balneário Camboriú

Pfizer: vacina contra covid-19 registrou 95% de eficácia em resultados finais

Leia também

Saúde entrou em colapso, mas bares, igrejas, academias e escolas continuam abertos

O governador Carlos Moisés anunciou, nesta quarta-feira, tímidas medidas de combate à pandemia, enquanto o sistema de saúde pública...

Com um ano de pandemia, Brasil chega a 250 mil mortes e vive pior fase da doença

Doze meses depois do registro do primeiro caso da covid-19, o Brasil superou nesta quarta-feira, 24, a marca de...

Saúde: Brasil registra 1.428 mortes por covid-19 em 24h; total chega a 249.957

O Brasil registrou 1.428 mortes em decorrência do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pelo Ministério...

Um efeito colateral grave foi a fadiga, relatada por 3,8% dos indivíduos

A vacina experimental contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech registrou 95% de eficácia nos resultados finais dos estudos e se mostrou segura. Na semana passada, as empresas haviam anunciado que a taxa de eficácia do potencial imunizante para o coronavírus havia sido de 90% nos resultados preliminares dos testes da fase 3.

- Publicidade -

A Pfizer também informou que planeja solicitar à Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) uma autorização de uso emergencial da vacina nos próximos dias, o que abriria caminho para que a distribuição começasse até o final de 2020, caso a agência reguladora aprove o pedido.

De 170 voluntários adultos que desenvolveram covid-19 com pelo menos um sintoma, 162 receberam um placebo, enquanto oito receberam a vacina, disseram a Pfizer e a BioNTech. Ao todo, fizeram parte estudo quase 44 mil indivíduos.

Segundo as farmacêuticas, os pesquisadores não encontraram nenhum problema sério de segurança na vacina, que pareceu ser bem tolerada após uma revisão dos dados de 8 mil participantes. Um efeito colateral grave foi a fadiga, relatada por 3,8% dos indivíduos, de acordo com as empresas. Além disso, 2% dos indivíduos relataram dores de cabeça.

“Os resultados do estudo marcam um passo importante nesta jornada histórica de oito meses para apresentar uma vacina capaz de ajudar a acabar com esta pandemia devastadora”, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla. “Continuamos avançando na velocidade da ciência para compilar todos os dados coletados até agora e compartilhar com os reguladores em todo o mundo”, acrescentou.

- Publicidade -

De acordo com um porta-voz, a Pfizer está esperando para analisar completamente os dados e compilar a documentação necessária antes de pedir a autorização à FDA. Fonte: Dow Jones Newswires.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -

Incêndio atingiu casa em Balneário Camboriú nesta quinta-feira

Uma casa que fica na Rua A, no Loteamento Jardim Denise, no Bairro Nova Esperança, sofreu um incêndio na...
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -